Diamantes, brilhantes e afins

Muitas pessoas têm dúvida (eu também tinha até um tempo atrás) sobre a diferença entre brilhantes e diamantes. Do tipo “como saber se uma jóia é de diamantes ou de brilhantes?”.

Há alguns dias conheci este “manual” feito pela H.Stern sobre o assunto, e decidi fazer um post para esclarecer um pouco mais sobre esta pedra preciosa que a grande maioria das mulheres AMA!

O livrinho da H.Stern, além de mostrar várias coleções de jóias da marca, traz desde termos técnicos até curiosidades sobre os diamantes. Mas como nem todo mundo tem acesso a esse material, neste post você encontra as informações mais importantes sobre o assunto.
Diamante é o nome da pedra formada unicamente por carbono e, em geral, possui mais de 100 milhões de anos. A composição é a mesma do grafite, no entanto, os átomos de carbono são unidos de forma oposta (lembra da aula de química?).
Embora seja o material mais duro existente na natureza (resistente a riscos e arranhões), o diamante possui baixa resistência ao impacto, podendo ser quebrado com certa facilidade. Por isso, as jóias feitas com esta pedra devem ser guardadas separadamente e em embalagens delicadas.
O valor de um diamante é determinado por 4 critérios: pureza, cor, lapidação e peso.
Pureza: quanto menos cristalizações ou inclusões a pedra tiver, maior será sua pureza. No entanto, é quase impossível encontrar um diamante 100% puro.
Peso: o peso do diamante e das outras pedras preciosas é aferido em quilates, que equivalem a 0,2 gramas.
Cor: ao contrário do que muitos imaginam, o diamante existe em diversas cores, como amarelo, preto, rosado, etc. Os diamantes incolores têm seu valor aferido conforme a ausência de cor, ou seja, quanto mais transparentes, mais valiosos. Já os diamantes coloridos serão mais valiosos se mais intensa for a sua cor.

Lapidação: existem várias formas de se lapidar um diamante, como, por exemplo, estas abaixo:

Dentre estas formas está a lapidação brilhante.

O diamante brilhante redondo é cortado, regra geral, em 58 facetas. Quanto mais proporcionais forem estas facetas, mais luz refletirá o brilhante.

Conclusão: diamante é o nome da pedra, que pode ser lapidada em diversas formas, dentre as quais, a  brilhante.

Recentemente a Louis Vuitton patenteou duas formas de lapidação de diamantes. Tratam-se das flores estampadas em grande parte dos seus produtos.

A marca ingressou no ramo da alta joalheria no ano passado, convidando o designer Lorenz Baumer para criar uma coleção. O resultado é incrível:

A Tiffany também é famosa pelos seus brilhantes, e só usa pedras de qualidade D, isto é, os mais incolores dos diamantes, já que a classificação vai de D a Z.

Para encher os olhos com diamantes e outras pedras preciosas:

http://www.tiffany.com/
www.hstern.com.br/sternstar   – novo corte de diamantes desenvolvido pelo marca
http://www.adorojoias.com.br/ – Siiiimmm, a H. Stern tem seu próprio blog!!!!

Próximo post:
Post anterior:
Escrito por
3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *