Sobre alimentação x gravidez x peso

Sobre alimentação x gravidez x peso

Estou há várias semanas pensando em escrever esse post mas como sabia que ia ficar enooorme, demorei para me animar. Mas agora vai! Depois que postei alguns looks no blog e no insta, várias perguntas pipocaram sobre o meu peso pós-gravidez então, decidi falar um pouquinho sobre o assunto mas para isso, vamos começar do começo!

antes durante e depois

Antes, durante e depois da gravidez.

Bom, eu nunca fui uma pessoa encanada com alimentação e boa forma, mas sempre tentei ter uma alimentação razoavelmente saudável com alguns escorregões vez ou outra.

Depois que soube que estava grávida, passei a prestar muito mais atenção no que eu comia. Diminuí a ingestão de farinhas brancas, eliminei totalmente qualquer tipo de gordura trans (fiquei quase neurótica com isso quando soube que ela poderia prejudicar diretamente o bebê), passei a  só comer verduras e frutas orgânicas (sem agrotóxicos, hormônios, etc). Além disso não tomo refrigerante desde os meus 18 anos. Fora isso, continuei comendo doces (meu pecado! kkkk) quase à vontade.

Logo no início fui buscar orientação com a minha nutri Vera Lisboa (já falei dela nesse post sobre como acelerar o metabolismo, lembram?) e ela me ajudou muito com várias coisas: me explicou quais as medidas do meu corpo poderiam aumentar e quais não deveriam, me receitou uma série de vitaminas importantes para o baby e para mim, me deu dicas para combater a retenção de líquido e, claro, coordenou minha comilança.

Cada gravidez e cada grávida é diferente da outra. Eu tive muuuuita fome durante toda a gestação, principalmente no início. Sabe vontade de comer o reboco da parede? Tipo isso! kkkkk Comecei tentando comer coisas saudáveis só que eu não parava de mastigar porque nada matava a minha fome. Então a minha nutri me mandou fazer lanches mais nutritivos e “pesados” pra que a fome não voltasse em 15 min. Isso ajudou bastantes.

Nas primeiras 20 semanas, que completei depois do Natal, ganhei 1,5kg e estava super tranquila. Só que daí fui pra Punta e 20 dias depois, comendo todos os doces e carboidratos (brancos inclusive) do planeta, voltei para Porto Alegre, fui fazer o exame da curva glicêmica (aquele chato, que tem que tomar um xarope e tirar sangue 1h e 2h depois) e dei de cara com uma pré-diabetes. Desesperei total! Bateu a maior culpa do mundo e lá fui eu mais uma vez cortar todos os carboidratos quanto foi possível. Nem preciso dizer o quanto a orientação profissional foi importante nessa hora com explicações de como “economizar” carboidratos e eliminá-los naturalmente, sem nenhum tipo de remédio. 15 dias depois repeti os exames e tudo tinha voltado ao normal, graças a Deus!

Nos primeiros 6 meses ganhei cerca de 5kg. Minhas medidas aumentaram no quadril (a primeira coisa que aumentou, logo nas primeira semanas!!!), barriga e seios, claro, e panturrilhas (sabia que um dos lugares que as grávidas mais retém líquidos é a panturrilha? Por isso que elas incham tanto). Coxas até reduziram e braços se mantiveram iguais até o final.

Só que quando entrei no sétimo mês as coisas começaram a mudar. Meu peso passou a aumentar a cada semana, assustadoramente! Parecia que tudo o que eu comia virava “gordura”. Moral da história, nos últimos 3 meses da gestação dobrei esse peso! Ainda assim, no nono mês escutei da minha nutri uma frase que eu queria escutar para o resto da vida: “tu tens que engordar”! kkkkkkkk Nem preciso dizer que comi tudo o que tive vontade (dentro das minhas regrinhas: sem gordura trans, sem refrigerantes, etc) já que é no último mês que o bebê ganha a maior parte do seu peso então o aumento do peso da mãe é fundamental!

A Helena nasceu com 38 semanas e 5 dias, com 3,600kg. Quando cheguei no hospital me pesei e estava com 11,5kg a mais do que quando engravidei. Minha barriga era enooooorme! Juro!

Saí do hospital 4 dias depois com 5kg a menos e a barriga ainda inchada, óbvio. A barriga de cesárea demora mais para voltar porque na cirurgia os músculos abdominais são afastados e por isso leva mais tempo pra voltarem para a posição original, fora que entra muito ar, distendendo ainda mais o abdomem. Confesso que fiquei um pouco frustrada porque muita gente me dizia que eu deixaria cerca de 8kg na maternidade. Só que não!

Depois que ela nasceu, minha alimentação virou uma bagunça, eu confesso! No início o bebê consome praticamente todo o nosso tempo e várias vezes simplesmente esqueci de tomar café da manhã e até de beber água, só me dando conta disso quando sentava para almoçar. Errado, eu sei! E o pior é que quando consigo tempo para comer, acabo comendo muito mais do que deveria.

Mas aos poucos as coisas estão voltando ao normal e tenho evitado ficar me pesando toda a hora.

Quando ela completou 20 dias eu já tinha perdido 10kg e hoje a Helena completa 2 meses e não tenho mais nenhum quilo da gestação, só uma barriga meio estranha! kkkk

Apesar de já ter sido liberada, ainda não fiz exercícios físicos (vergonha!) mas com bebê pequeno é tão difícil cumprir horários de aulas de ginástica e até de compromissos, que ainda não consegui me organizar. Mas acho que nas próximas semanas vou deicidir se já volto para o Muay Thai ou se vou fazer outro tipo de exercício mais light, por enquanto.

Bom, o que eu quero dizer no final de tudo para as grávidas ou futuras grávidas: cuidem muito da sua alimentação durante a gestação, pois ela vai refletir diretamente na saúde do seu bebê e na sua. Além disso, se você comer bem durante esse período, os quilos que você ganhar vão embora rapidinho depois do nascimento do bebê, já que pouco desse peso é realmente gordura (não esqueça que tem o peso do bebê, o líquido que retemos, o útero que está aumentado, o sangue extra que produzimos, etc.). Já se você chutar o balde na gestaçao, vai pagar o preço depois. Por isso, bom senso sempre!

Sem essa de comer por dois, combinado?

Na minha opinião, orientação nutricional de um bom profissional faz toda a diferença. Vale investir.

Ah, e mais uma coisa: usei cinta a partir do décimo quinto dia, quando não sentia mais dor, e acho que ajuda bastante porque a barriga fica oca e meio sem forma e a cinta ajuda a colocá-la de novo no lugar. Aquela história de que ela não deixa o corpo trabalhar sozinho na minha opinião não procede. Na verdade, com ou sem cinta você tem que lembrar de contrair o abdomem sempre e não é proque está sem cinta que vai lembrar mais. Hoje já estou usando bem menos, só quando vou colocar um roupa justinha,

Eu avisei que o post ia ser longo! kkkkk Bom, falei tudo que lembrei e achei importante. Quem quiser saber de algum detalhe que não esteja aqui, é só falar nos comentários, ok?

Próximo post:
Post anterior:
Escrito por
10 comentários
  1. Michelle at 12:23

    MUITO BOM LER ISSO! É APAVORANTE SE VER ENGORDANDO TÃO RAPIDAMENTE! ESTOU C 27 SEMANAS GRÁVIDA DE UM GURI, O EDUARDO! ELE JÁ ESTÁ ENORME! DRENAGEM ALIVIA A SENSAÇÃO DE QUE VAMOS EXPLODIR! BUS

    • Clarissa Cabeda Autor at 21:57

      Sei bem como é isso Michelle, eu só conseguia pensar pra onde tudo aquilo iria depois do parto! kkkk Mas volta sim, é só não usar a gestação como desculpa para enfiar o pé na jaca! Coisa boa que o Eduardo é grande, é a melhor coisa bebê gordinho e forte, pq depois que nasce perde peso. A Helena nasceu com 3,600 e chegou a 3,100. Imagina só os que nascem magrinhos!!!
      Comigo a drenagem não funcionava muito, o que me ajudou muito a não reter tanto líquido era tomar água com limão. Aqui no blog tem um post com essa dica.
      Bjsss

  2. elisabeth goldsztein at 18:22

    Clarissa,gostei muito do que escrevestes,importante para as futuras mamães,gravidez não é doença e como bem dissestes,não é necessário comer por dois,coisa certas na hora certa funcionam muito bem,e é um momento tão maravilhoso em nossas vidas,que temos que pensar em ficar bonitae saudável,bjs e a Helena esta lindissima

    • Clarissa Cabeda Autor at 22:01

      Pois é Beth, por incrível que pareça ainda tem gente que usa a gravidez como desculpa para comer tudo o que vê e acaba engordando demais. Só que depois tem que emagrecer todo o excesso, o que não compensa, né? Bom senso sempre é o ideal para manter a saúde e a beleza!
      bjsss

  3. Claudia Weiler at 22:24

    Clarissa,
    Adorei o texto! Me identifiquei muito, pois estou vivendo exatamente isto. Alguma dica para perder tão rapido os quilos a mais no pós parto? Beijos, Claudia

    • Clarissa Cabeda Autor at 19:25

      Oi Claudinha! na verdade acho que não tem mistério, o “segredo” é não perder o controle da situação durante a gravidez. Se o aumento de peso for dentro do considerado saudável, depois é rapidinho pra perder!
      Bjs

  4. Rosane Baldissera at 09:04

    Oi Clarissa! Esse assunto é ótimo e Parabéns pela determinação de cuidar do peso na gestação! Porque depois de ganhar o baby temos que voltar ao corpicho de antes para ficarmos em paz com nosso corpo!Eu cuidei muito, até demais, aumentei 8kg e em um mês já estava com meu peso pré gestacional! Mas meu bebê nasceu com 3100g bem pequeno, poderia ter nascido maior se eu não tivesse comido tão pouco! Amei teu blog!!!

    • Clarissa Cabeda Autor at 19:29

      Nossa Rosane, vc aumentou pouco mesmo! eu tinha traçado a meta de 9kg mas passei voando por eles! kkkkk Mas nas fotos que tirei dá para ver bem que era só a barriga enooorme, o resto do corpo mudou muito pouco, então fiquei tranquila. Ah, e a Helena era bem pesadinha: 3,600kg! Acho que o “segredo” é cuidar da alimentação durante, assim o depois fica muito mais fácil, né?
      bjsss

  5. Andrea at 14:27

    Oi Clarissa

    tu falaste que a tua nutri disse que tem medidas do corpo que podem aumentar e outras não… fiquei muito curiosa quanto a essas informações. Sou tentante, mas já to de olho na coisa de se cuidar, sempre fiz academia, mas com a história de estar planejando a gravidez, acabei optando pelo pilates há 3 meses… ai vamos ver como vai ser!
    beijão e parabéns pelo teu blog, ótimas dicas!

    • Clarissa Cabeda Autor at 19:27

      Oi Andrea! Eu não me lembro exatamente quais são as medidas que mudam ou não, mas acho que braço e a medida logo abaixo do busto ela diz que não tem que aumentar, só se ganhar peso em excesso, e a que mais aumenta em função da gravidez, além da barriga claro, é a panturrilha. Acho que o Pilates é boa atividade pois pode continuar com ela durante a gestação.
      Bjs e obrigada pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *